NEOARQUEO
01 abril 2008
  etnografia
Cabe neste espaço a Etnografia. A vida rural das gentes da Beira Alta, das Terras de Azurara e de Tavares e de outros sítios deste "imenso" Portugal. Não posso, não devo ser redutor às fronteiras do meu concelho, não só porque o Homem e as suas manifestações são o cerne da filosofia editorial do Neoarqueo, bem como as semelhanças e as diferenças que existem nas mesmas manifestações a issso obrigam, sob pena de perder a minha objectividade e quiçá algum rigor histórico e cultural.
Assim, hoje gostaria de vos falar um pouco de alguns instrumentos da vida quotidiana, da economia das gentes da nossa terra, daqueles objectos que na minha mocidade fizeram parte da minha realidade visual e hoje para os ver, a maior parte deles, já tenho que me deslocar a um museu de etnografia. Não merece a pena irmos a Lisboa ao Museu Nacional de Arqueologia e Etnologia, basta dar um saltito aqui ao lado ao Museu Municipal Manuel Soares de Albergaria, em Carregal do Sal e ver a exposição permanente que a equipe do Arqueólogo, Dr Evaristo Pinto, zeolosamente cuida e estuda.
Bem, a agricultura foi e é a base económica das sociedades que se mantêm nestas paragens do concelho de Mangualde. Os diversos instrumentos para o amanho da terra, para tratar dos cereais, para cultivar a vinha, para fazer o vinho, para...enfim toda uma multiplicidade de tarefas que a pouco e pouco vão sendo arrumados a um canto, perdidos até pela inovação tecnológica. Os tractores e outras alfaias agrícolas modernas vão condenando a velha grade, o velho arado de madeira, a velha pipa de guardar o vinho...
Cabe a todos nós, sem margens para dúvidas, sempre que tropeçarmos numa dessas peças, a obrigação de a salvaguardar da fome devoradora que o tempo tem. Faço um apelo a todos os que me lêem: os instrumentos que tenham em casa se os não quizerem guardar, por falta de espaço, eu posso ficar com eles para a elaboração de um museu, ou então nas vossas terras criem vós um museu com esses artigos.
Deixo-vos hoje uma foto das alfaias mais usuais de outrora.
 
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar