NEOARQUEO
28 janeiro 2007
  História Recente...ou longínqua?

A vida avança a um ritmo deveras alucinante. Ainda à pouco tempo viamos estes placards assinalando a presença de um posto de correios, telégrafo e telefone pelos mais variados sítios, preferencialmente nas aldeias mais distantes. Estes placards são do tempo em que a vida era de facto bastante mais lenta, vivida a passos mais pausados. Deste tempo eram as aldeias que ainda tinham população; crianças nasciam e justificavam as escolas que por ali existiam. Estes placards são do tempo em que não havia telefones em casa das pessoas, só de algumas. São contemporâneos de uma idade em que não havia televisão em casa dos portugueses, só de alguns. Estes placards são de um tempo em que Bill Gates ainda andava de calções e a jogar aos cromos, muito longe de pensar em computadores e programas para estes. Estes placards são do tempo em que os CTT ainda albergavam a companhia de telefones; só mais tarde, já na era da Democracia é que a PT se desagregou dos CTT. Estes placards são de uma idade ainda próxima, mas, olhando para eles, parece que já passaram longos e longos anos...
 
22 janeiro 2007
  Vestígios arqueológicos de Espinho

Nos últimos quinze dias, alertado pelo meu amigo e amante destas coisas da História e da Arqueologia, João Ferreira, visitei a aldeia de Espinho, da Freguesia do mesmo nome, aqui no Concelho de Mangualde, para que visse uma estela funerária que por ali existia. Desloquei-me à referida povoação e lá fui dar com ela, isto é, com parte dela. Efectivamente, colocada sobre o ombral da porteira de uma casa, lá está a estela funerária, provavelmente medieval. Falta-lhe espigão, exibe apenas a "palmatória" onde se pode ver uma cruz em alto relevo. A cruz, entre outros temas, era o motivo mais frequente a decorar tais cabeceiras de sepultura. Colocando-a no referido ombral, presa a este por cimento, virada para a rua, para que os transeuntes a possam ver e admirar, foi a forma que o proprietário encontrou para preservar tal testemunho histórico; fê-lo certamente por achar bonita, interessante, fora do vulgar tal pedra e talvez não por saber na realidade qual o verdadeiro sgnificado desta. Fez bem: preservou e expôs ao "público". Os detalhes métricos e técnicos não são importantes de referir neste momento. Já publiquei neste blog um artigo técnico sobre cabeceiras de sepultura (Dezembro de 2005). Deixo-vos a foto para admirardes.
 
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar