NEOARQUEO
18 novembro 2005
  CONIMBRIGA - ao lado fica Aeminium

Conímbriga foi o primeiro sítio arqueológico que visitei. Fi-lo quando andava no 2º ano do Ciclo. Talvez tenha sida a beleza desta antiga cidade que me levou à paixão pela Arqueologia e pela História.
E vocês? Qual foi o vosso primeiro sítio arqueológico de visita?...
 
<$Comentários$>:
Julgo ter sido este,também, o meu primeiro sítio.
 
Foi este local, sem dúvida. Um local de excelência, bonito...bonito.
Um reparo, se me permite TSFM, em Mangualde para muitos, deveria ser a "Raposeira" o primeiro sitio arqueológico a visitar, e o que nós vemos actualmente? Abandono, e a tristeza invade os nossos ãntepassados ... e a nostalgia os nossos corações.
"Raposeira" Um futuro post para o NEOARQUEO, e ainda estou à espera de ver foto das escavações feitas em Guimarães de Tavares.
Um Abraço
 
Penso que tambem foi a minha primeira visita na altura da escola primária, mas por iniciativa própria já visitei bastantes outros sítios, talvez há uns dois verões atrás eu e a minha esposa eramos conhecidos pelos "devoradores" de castelos e ruinas no circulo de amigos! Realmente ficamos um bocadinho tristes com a nossa visita à "Raposeira"! era necessário melhorar o sítio.
 
Coninbriga foi também a minha primeira visita arqueológica e que ainda tenho na memória.
 
A primeira vista de estudo organizada pela escola foi a Évora. Já no ciclo preparatório. Conimbriga foi visitada a título particular já muito mais tarde, mas gostei do que vi.
Fui lá á pouco tempo (meio ano) e está completamente abandonada, cheia de ervas e sem cuidado nenhum. Uma pena...

Conheço alguém que caiu numas ruínas romanas, tal era o chapéu, não é Jeremias?
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar