NEOARQUEO
10 dezembro 2005
  Memórias CASTREJAS?

Todos nós sabemos que os povos que habitavam a Península Ibérica antes dos romanos aqui chegarem viviam nos chamados Castros. Construções fortificadas nos pontos altos, no cimo de montes donde se tinha uma visão previlegiada, contribuindo desta forma para uma defesa estratégica. Todos nós já fomos à Citanea de Briteiros, de Sanfins, ou a outros locais e olhámos deleitados para as ruínas das casas e das ruas que constituíam aquelas cidades...As casas dos povoados castrejos eram de planta circular e rectangular/quadrada, com os cantos arredondados, na maior parte das vezes. Nas terras do nosso concelho de Mangualde são vários os exemplares que nos revelam na íntegra como eram aquelas habitações tão antigas. A foto publicada dá conta de uma construção idêntica à dos povos castrejos que existe em terras de Abrunhosa -a-Velha.
 
<$Comentários$>:
Entre Póvoa de Cervães e Abrunhosa a Velha encontram-se vestigios dessas construções. Algumas em bom estado. Muitas deterioradas e descaracterizadas. Seria o Turismo Rural uma boa forma de as recuperar?
 
O turismo rural? Desde que não ordenhem o carneiro ou o bode, tudo bem.
Quanto ás ditas construções, elas ainda existem em muitos sítios, em ruínas é certo, porque eram utilizadas por pastores, para se abrigarem e aos seus rebanhos, quando estes passavam semanas fora de casa. Hoje em dia tal já não acontece e as coisas foram-se deteriorando, é como tudo, quando não é utilizado acaba por cair...

Boa Semana

PS - O António nos “Algarves” a levar nas orelhas mas os posts aparecem....
 
Para quem não saiba existiram pelo menos dois castros no conceho de Mangualde: um no Monte do Bom Sucesso, Chãs de Tavares, que está classificado como monumento nacional; e outro no monte da Sr.ª do Castelo, destruído para a construção do actual santuário. O de Chãs de Tavares também foi muito afectado pelas obras emprrendidas pelo Sr. Saúl na 1ª metade do séc. XX e mais recentemente na década de 80/90.
 
Pelas nossas terras de Algodres tambem havia dessas casas castrejas, eu conheci algumas em Figueiro da Granja.
 
Boas. Parabens pelo blog.
Se puderes dá uma vista de olhos no meu:
http://visitaopassado.blogspot.com/
 
Caro al cardoso
No edificio do tribunal de Fornos funciona o CIHAFA - Centro de Interpretação Histórica e Arqueológica de Fornos de Algodres. Aqui poderá ver uma exposição com materiais desses castros e marcar uma visita guiada a eles. O de Figueiró foi recentemente alvo de "restauro".
 
Eu sei caro Pina Nobrega, embora viva longe sei de quase tudo o que passa na minha terra, de toda a forma pode ser util a informacao para outros leitores
bem haja e boas festas.
 
Muito bonito ;-)
já vi grandes construções Castrejas lá entre o Minho e Espanha e adorei !

Boas Festas :-)))))
 
Algumas existem em Mangualde?
Ninguém faz nada por elas?
Sempre a mesma coisa ... a CMM deveria ser responsabilizada de uma vez por todas ... o nosso património está a caír e ninguém olha para isto porra!!!!!
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar