NEOARQUEO
06 dezembro 2005
  Solar de QUINTELA de AZURARA

Chegou a vez de publicar mais um solar do Concelho de Mangualde, desta vez o de Quintela de Azurara. “ A risonha aldeia de Quintela de Azurara também se pode orgulhar de ter entre o seu casario uma casa solarenga onde, ao longo dos tempos, se reuniram os apelidos Morais, Pintos, Melos, Ataídes, Arriagas, Tavares e Cabrais. Trata-se de uma construção, provavelmente medieval, mas reconstruída na 2ª metade do século XVIII. Relatos familiares referem, inclusive, a existência de uma torre que caiu em 1717. Na sua feição actual, a casa não apresenta grandes voos decorativos. Apenas ressaltam as janelas da fachada principal pela cornija curva que ostentam. Todo o resto se insere no estilo de construir, comum neste tipo de casa. O portão que se lhe encosta à direita é encimado por um frontão de construção recente, ladeado de volutas, onde se cravaram as armas da família com os apelidos Morais e Pintos. Todo este conjunto permite um acesso condigno à casa e à quinta anexa. A capela foi substituída por um oratório interior que permitia, da mesma forma, manter vivo o culto religioso. Este solar pertenceu a José Tavares d’Athaíde da Cunha Cabral (Foi Presidente da Câmara Municipal de Mangualde nas décadas de 50 e 60 do século XX). Deixou-o em herança a seu sobrinho Eng. João Carlos d’Athaíde e Arriaga Cunha Cabral, que o restaurou e transformou em turismo de habitação.
Dos seus antepassados destacamos, no século XVIII, António Pais Teixeira Cabral, senhor do morgado e prazo de Quintela, casado com D. Rosa Leonor de Morais Pinto Cardoso de Miranda, natural de Rio Torto, Chaves. O referido casamento trouxe para esta família os apelidos Morais e Pintos.” IN Casas Solarengas no Concelho de Mangualde de Anabela Ramos Cardoso
 
<$Comentários$>:
Permite esta pergunta de um leigo na materia - Este nome de familia d'Athaíde terá alguma relação com a familia Athaíde de Almeidinha? é que umas das casas convertidas em turismo rural que visitei não há muito tempo, é em Almeidinha e pertencia a um tal Dr. Athaíde, falecido recentemente.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
António, antes de mais gostei de conhecer este belo solar, depois, as questões que eu gostava de deixar ao meu amigo são as seguintes: Existe algum levantamento dos solares do nosso concelho? Quais são as caractristicas particulares de um solar?
Não te esqueças que são questões de "sarapoto" na matéria.
Um abraço e continuação de bons posts (não a metro)
 
Caro North
As familias das casas de Quintela de Azurara, Almeidinha e Fornos do Dão estão ligadas or laços de familia. Eram todos primos na transição do século XIX e XX.
A Casa de Fornos do Dão há muito que no pertence à familia, nesta predominava o apelido Queiroz, pois o Athaíde estava no elemento femenino da família.
Esta Casa de Quintela encerra um valioso arquivo onde se poderão as arvores genealógicas destas casas e familias.
Repondendo ao Greensky. Se reparar o António refere o livro da Anabela Cardoso,que é o único levantamento dos "solares" do nosso concelho. Trata-se de um trabalho singelo, mas importante por ser até agora o único. Há algum tempo que está esgotado.
Quanto às caracteristicas de um solar, muito sinceramente não sei. Normalmente uso a palavra entre aspas ou uso o termo casa solarenga.
 
Gostei imenso de ler este texto!
Há coisas que tantos Portugueses desconhecem da sua terra!!
Bom feriado ;)
 
Esclarecido. Muito obrigado.
 
Sou Jayme Azurara coutinho Neto, brasileiro e gostaria de saber um pouco mais do nome que tenho. Muito obrigado desde já.Para um possível contato meu email é j.azurara@hotmail.com
 
há uns anos atrás ficamos num solar (sec XIV)da família Arriaga em Quintela de Azurara.da leitura do seu texto sobre o solar não encontro qualquer referência a estas pessoas. será outro solar? agradecia uma resposta.
 
Caríssimo senhor,

O Solar que aqui apresento e falo é precisamente o dessa família.

Respeitoso cumprimentos,

António Tavares
 
Caríssimo TSFM,

Saberá informar-me se o digníssimo José Tavares d’Athaíde da Cunha Cabral teria algum título nobiliárquico?

Cumprimentos,

Cristiana Tavares
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar