NEOARQUEO
10 janeiro 2006
  Abrunhosa do Mato no Século XIII


Testemunhando o povoamento das terras do actual concelho de Mangualde está o grande manancial de vestígios arqueológicos. Estes provam a presença do homem desde a pré-história aos nossos dias. Para o período medieval, além da Arqueologia, existe uma fonte histórica imprescindível que fornece informações quer sobre a existência de determinada povoação quer para nos indicar os habitantes, seus nomes, relações entre estes e as localidades, etc. São as INQUIRIÇÕES DE 1258. Resumidamente elas foram efectuadas pela Coroa com o objectivo de cimentar a Administração Central, cadastrar o Reino, saber quem era quem, quem tinha o quê, que tipo de relaçoes existiam... Este sistema impediu a proliferação do Feudalismo em Portugal, pois permitiu a solidificação da autoridade régia. Iniciando-se no séc XIII perduraram até finais do Séc XIV.
Ao longo de vários artigos vou dando a "conhecer" aos meus leitores alguns habitantes das diversas aldeias daquele tempo. Antes, porém, quero referir que na génese destes artigos esteve um estudo extraordinário do meu caríssimo amigo Dr Pedro Nóbrega.
Assim, vou começar por Abrunhosa do Mato: Vem referida nas Inquirições, refere a existência de 4 casais foreiros ao rei, testados ao Mosteiro de Santa Maria de Maceira Dão por Donnus Guterri e Donna Maria, no reinado de D. Afonso II. Assim, a posse naquela altura era do Mosteiro e dava coleta. Não se conclui que estes senhores fossem naturais de Abrunhosa, nada o refere no documento. Mas esta localidade (sítio) já existia nesse tempo. Quem testemunhou foram pessoas de aldeias vizinhas, das quais falarei mais tarde.
 
<$Comentários$>:
Obrigado António Tavares
Obrigado Pedro Nobrega
Gostei de saber...
Muito bem
 
So não gostei desse Donnus Guterri.
:-)
 
Também eu, à semelhança do Alex, agradeço o trabalho dos meus amigos arqueólogos.

À guisa de brincadeira: Alex, o Guterri a que te referes não era este. Era o Guterri Pantanus.
 
É muito importante conhecer o local onde vivemos, imprescindível saber as origens.
Parabéns! Gostei.

Abraços
 
Interessante, conte-nos mais.
 
bemm mt giro mesmo.. se tiver alguma coisa sobre fornos gostava de publicar tambem no meu blog.. bem e nao tinha ideia de o real mosteiro ter assim tantos seculos d vida..
mts parabens e força nisso!
 
Parabéns, aqui é um espaço aonde se aprende e muito.......já é viciante ler os teus artigos..
 
António Tavares,
Espero em breve ver esta e muita outra informação num "site" sobre a Abrunhosa do Mato.
Continua assim a brindar-nos com estes magníficos artigos.
Um abraço
 
Donna Maria, tudo bem, agora Donnus Guterri – isso faz-me lembrar algo que faz muito mal e é uma referência dos imperialistas do grande capital. Não, não é o rapaz sem gravata com ar de santinho, estou a referir-me a donuts...

Um abraço
 
interessante trabalho de pesquisa...fico à espera do resto...é que o conhecimento nã ocupa lugar, nunca.
Obrigada ;D

Bom ano para o blog !!
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar