NEOARQUEO
31 janeiro 2006
  Anta da Pera do Moço-Guarda

Vamos sair do Concelho de Mangualde, vamos até às terras da Guarda. Pela estrada N 221 que nos leva desta cidade até Pinhel, junto à aldeia de Pera do Moço, surge-nos ao lado direito um monumento megalítico. Implantado num vale aberto, junto a uma linha de àgua tributária do rio Côa, este Dolmen de Câmara com 7 esteios e de corredor curto, data de finais do IV e princípios do III milénio a.C. Ao longo dos anos, e pela convivência que teve com os homens foi-se deteriorando, a mamoa que o cobria já não existe. Do seu interior, em escavações, foram retiradas uma ponta de seta em sílex, micrólitos em quartzo, cerâmica lisa e mós manuárias, que serviam de cunha aos esteios. Em 2001 foi alvo de uma magnífica intervenção de recuperação e é assim, neste excelente estado de conservação que se apresenta a quem passa. Passei lá hoje, achei que vo-lo devia dar a conhcecer.
Uma nota de rodapé: a aldeia chama-se Pera do Moço, mas desengane-se quem pensar que deriva do fruto saboroso que por ali também se cultiva, o nome deriva de PEDRA, que com o tempo "evoluiu" para Pera. São vários os casos de localidades que se chamam PERA e sempre têm como origem um Dolmen.
 
<$Comentários$>:
Tás a ver que ir lá para os lados da Guarda nem é assim tão mau :-)

E esta foto é fresquinha. Ainda tem neve e tudo...

Um abraço e boas descobertas para as Egitanias
 
Bom trabalho.
Também do rally papper, tenho uma foto da anta da Cunha Baixa que também te vou mandar por e-mail.
Espero que gostes.
 
Gostei de ver, pelo menos a viagem não foi em vão (só vender pastilhas) teve uma vertente recheada de cultura e conhecimento. Como sabes não é a primeira vez que vemos um nome de fruta (pêra) derivar de pedra.

Um abraço

Gostei de ler.
 
O meu amigo Greensky sabe que Peravelha, em Moimenta da Beira tem a mesma origem, e como não podia deixar de ser, lá está o Dolmen.
 
Não é por acaso que existe a Pêra Rocha.
 
Muito bem apanhado, Bota. Prazer em tê-lo por cá.
 
Uma coisa é certa: aturar-te a ti e aos sete cientistas teus amigos não é Pêra Doce :-)

Um abraço
 
Mais uma. A verdade é: quem disse que a Arqueologia era uma ciência chata? Veja-se aqui a boa disposição que ela causa.
 
Está registado, mais uma para a gaveta, continua, estes amigos não te perdoam uma....
 
é bem verdade e ri-me aqui sozinho a ler estes comentários..
cada vez q venho a este blog aprendo qquer coisa.. é bom isso! hj aprendi que todas as peras têm uma anta..

(conversa em minha casa)

Fornense: pai sabias que todas as peras têm uma anta?

Pai:ve la se apanhas juizo

Fornense: juizo? ve la se queres levar uma pedra evoluida

Pai:é pior do que eu pensava..

Fornense: pois é.. não lês o neoarqueo..

Pai: mulher interna-o..

:)

desculpe la.. a culpa é da testostrona.. :)
 
Sorrisos pela manhã !!!
 
Armação de Pera, no Algarve ?
 
Pera Boa, Covilhã
 
Eu gosto mesmo de aqui vir. Alêm de aprender sempre mais alguma coisa, farto-me de rir com sos comnentários aqui deixados :-)

Quanto ao nosso 'amigo' Não tinha pensado nisso, mas realmente tenns razão. o CAvaco ao pé dele, é se calhar, uma brincadeira.

Abraço e continuação de bom trabalho ;-)
 
Desculpe o tratamento por 'tu'...descuidei-me.

Sinón, está agora a dar na TV, a entrevista com o homem mais rico do mundo...o tal, o Bill Gates...
 
Não conhecia. Antas...só a Cunha Baixa!
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
“…neste excelente estado de conservação…”
São estas e outras como esta, que me fazem dizer … então e em Mangualde? Porque é que não temos a sorte de ter gente inteligente a governar o nosso Património!

Gostei de Ver

Abraços
 
Bem, se quiserem eu tenho acesso a todos os topónimos. São mais de 160 mil e o ficheiro é super pesado.
 
Pera Manca
 
Pera Bêbeda...
 
pera do pomar do meu avô..
é especial! o q julgam!? :)
 
Muito interessante toda a informação do blog e especialmente esta porque tenho raizes na região da Guarda e sou uma entusiasta de magalitismo! Vou continuar de olho!
 
Gostei de ver as fotos e os comentários sobre Pêra do Moço, pois sou do Brasil e meu pai, Hermenegildo Dias Pereira, nasceu em Pêra do Moço. Ficaria muito feliz de descobrir algum parente ai em Pêra do Moço. Abraço a todos.
vanderleidp@hotmail.com
 
SOU DE PERA DO MOÇO ...E CONFESSO QUE NÃO SABIA.
MAS TEM LÓGICA ...E É MOTIVO DE VAIDADE.
AFINAL, TRÊS OU QUATRO MIL ANOS DE HISTÒRIA, CONTADA COM RIGORES DE GRANITO, ... É OBRA.!...!
E QUEM DIRIA QUE MONUMENTO TÃO ANTIGO QUANTO GRANDIOSO VIRIA, AFINAL, A PERPETUAR-SE COMO ACOLHEDOR BERÇO DE TÂO SIMPÁTICA ALDEIA ...?...?
Já agora, sugiro ao amigo brasileiro, para indicar mais detalhes. È que, abstendo-me de tergiversar, "Pereiras" são mais do que muitos, mas "Dias", talvez haja, não me recordo de nenhum.
 
Sim...... Meu pai Hermenegildo Dias Pereira veio para o Brasil em 1954, quando tinha 17 anos de idade, acomanhado pelos meus avós, Henrique Dias Pereira e Glória Maria de Jeus, uma tia déle de nome Arminda e mais duas irmãs mais novas, minhas tias, Agueda e Maria.
Somente sei que meus avós eram de Pera do Moço, moravam ai até 1954 e que meu pai nasceu aí em 1936.
Também me orgulho deste local, não somente pelo fato de neu pai ter nascido ai, mas pela importância histórica que ele representa para toda a humanidade...
Abraço a todos...
Vanderlei Dias Pereira
vanderleidp@hotmail.com
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar