NEOARQUEO
03 janeiro 2011
  Brincos Romanos...ou a "Beleza na Antiguidade"

Efectivamente a Mulher ao longo da História sempre teve preocupações estéticas, de parecer bem, de mostrar a sua elegância. Não é somente dos tempos actuais esta forma de pensamento e actuação. Talvez que na Alta Idade Média, logo após a queda do Império Romano e por toda a Baixa Idade Média os adornos e enfeites que a mulher usava não fossem de uma beleza estonteante, talvez mais discretos. As mentalidades deste período longo da História da Humanidade não consideravam estes assuntos de interesse crucial. Foi no período após as Descobertas que a mulher "recorda" os tempos do bom enfeite, recupera o uso mais acentuado das jóias. O Renascimento a isso levava. Tudo que fosse de inspiração clássica era bom. As jóias acompanhavam as senhoras nos dias festivos, nos dias mais importantes, tal como hoje. De igual forma estes adereços estavam apenas ao alcance das bolsas mais recheadas. Este magnífico par de brincos é da época romana, mais concretamente do séc III d.C.
Faz parte do chamado "Tesouro da Borralheira", encontrado na Vila de Teixoso, no Concelho da Covilhã. Actualmente pode ser apreciado no Museu Nacional de Arqueologia e Etnologia, em Lisboa.
Excelente trabalho de ourivesaria. Design extraordinário...
Há 1700 anos atrás pertenceram a uma elegante dama da alta sociedade luso-romana, Em que festas não terão causado sensação? Quanta admiração, quanta cobiça não terão motivado? A dona dos brincos certamente enchia de orgulho o seu marido...

PS Este Post foi transferido para data posterior por questões técnicas.


 
<$Comentários$>:
A «dona dos brincos, não enchia ... o marido» não senhor, esvaziava-o. Pelo menos era o que aconteceria hoje!
 
Concordo com o CMatos na parte de encher.
Quem se enchia com estes adornos (e continua a encher) são os grandes fabricantes de joalharia que têm uma magia qualquer desde os primórdios para conseguirem que as damas de qualquer época se sintam bem é com coisas caras a adorná-las ou a tapar-lhe o corpo.

Boa semana
 
Esse merdas desse aristocrata romano que ofereceu os brincos á mulher tinha era uma pila pequena que não enchia nada e ejaculação precoce, pelo que tinha que lhe dar alguma coisa para ela não o encornar tantas vezes – hoje em dia passa-se o mesmo.
 
A ejaculação precoce significa que a mulher é tão eficaz que ele não se aguenta...
Hoje me dia muitas mulheres são emancipadas no que diz respeito a dinheiros e adornos.
Ainda não perceberam isso, machistas ! Nem no Paleolítico havia homens assim .
 
Ah! Outra coisa:

A beleza feminina nunca fez mal a ninguém, pelo contrário.
 
Muito bonitas sim senhor, e esclarecedor artigo.

Bom fim de semana.
 
Antigamente e agora, ainda se mantêm a velha norma..... " no jewellry, no sex "..rssssssss (meninas não me batam)
 
Infelizmente hoje em dia, este artefacto já não é um exlusivo das senhoras. Há tambem alguns "machos" que gostam de usar.
Ele há gostos para tudo.
 
Pois é... a tradição, nestas coisas, mantém-se! Gostamos de as ver bonitas... especialmente para nós. E quando nos dão tanto porque não um carinho mais extravagante?

Quanto à questão levantada pelo Pina, realmente hoje os machos também os usam. Nunca me deu para aí e confesso que não gosto de ver, mas já os ouvi defenderem-se dessas provocações dizendo que no passado eram os homens de barba rija que os usavam: os Piratas! :-)

Em todo o caso se hoje já descobrimos que afinal os cowboys não eram tão viris assim, não tarda viremos a saber o mesmo dos piratas :-)

Um abraço e boa semana
 
De facto....

Bom , sabes como somos...nós....as mulheres, né???
Não fazemos a "coisa" por menos....( seja lá o que for a "coisa"....eu só usei a expressão...)
Aceitas um beijito?
BShell
 
O português é uma língua muito traiçoeira....né???
 
Continuo a achar que a beleza feminina e masculina é boa é a nu, adornos só na cabeça...
 
pois...o 'interior' é que interessa como diz "redof"...eheheheh
mas os brincos são sempre bonitos!

Abraços desenhados :-)
 
depois,venham cá com a treta de Gondomar ser a capital da joalharia.
 
Senão sabem o que fazer no próximo sábado dia 1, que dizem desta......

A ideia

Vejam quem já são os "corajosos"

Os Inscritos


Também , há opiniões, que devem ser respeitadas


o Reforço

Eu que ando mortinho por conhecer.tanta gentinha...

Grande abraço....aparece
 
Linda obra de arte. Grandes convívios e saborosos momentos causou.
Quantos homens a cobiçaram, quantos lhe tocaram, mas só um, nesse momento teve o prazer de ser o único a enfiar-lhe os brincos na orelha.

A mulher é linda sem adornos, agora se os tiver, o encanto da jóia, enaltece a sua beleza.

Abraços
 
Uma jóia para a jóia.
Uma Romana com brincos! Hum ….
Muito sugestivo...
 
Agradeço as tuas simpáticas palavras lá nos meus comentários. Hoje venho só deixar um abraço apertado.
*=*=*=*=*=*=*=*BShell*=*=
 
Pode ser que estes belos exemplares da joalharia romana inspire os criadores de moda actuais que andam virados pras jóias :P
 
O tesouro da borralheira nao foi encontrado na villa do teixoso mas sim ecomo o nome o indiqua na pequena aldeia da borralheira da freguesia do teixoso conçelho da Covilha
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar