NEOARQUEO
02 maio 2006
  EX-VOTO de Abrunhosa do Mato

A religiosidade popular é riquíssima nos testemunhos que nos lega. Já desde a Antiguidade que o Homem, prisioneiro de desgraças, doenças e outras situações desesperantes recorre ao divino, em busca de auxílio, de ajuda, de salvação. Efectivamente, o homem, quando colhido pelo desespero recorre ao seu deus predilecto e clama a obtenção de uma graça capaz de resolver aquele problema; em troca, e como forma de pagamento ao deus pela graça obtida, oferece o ex-voto. Os romanos mandavam construir as aras, pequenos altares em pedra, granito ou mármore, consoante o material da região, e aos diversos deuses as dedicavam , cumprindo assim o pagamento da promessa. É velha de séculos, como se vê, mas que perdura, esta relação interesseira de religião. Ao longo da História vários foram os objectos que personalizaram o ex-voto. Actualmente os ex-votos evoluiram para as figuras de cera que se oferecem às santas e santos da devoção pessoal de cada um.
Em Abrunhosa do Mato, na Capela do Senhor do Calvário está este ex-voto, em madeira. Trata-se de um pequeno quadro com uma pintura e que realça bem a gratidão do cavalheiro ao Stº Cristo do Calvário, que lhe salvou a esposa de uma grave doença. Este quadro é também uma preciosa fonte histórica que nos elucida como o homem do século XVIII trajava em Abrunhosa do Mato, bem como dá notas para uma história do mobiliário, etc. Repare-se que a senhora deitada na cama, doente, aparece representada com brincos e um colar...A roupa da cama é certamente a melhor...Pelas roupas trajadas pelo senhor, estamos perante uma família certamente com algumas posses.
A inscrição no fundo do quadro reza assim:
MILAGRE Q. FES O STº CRISTO DO CALVARIO Á MVLHER DE FRANCISCO HENRIQVES DO LVGAR DA ABVRNHOZA DO MATO; LIVERANDOA DE VMA PRIGOZA QVEIXA. ANNO DE 1783.
Não se sabe quem pintou o quadro. Um artista, provavelmente de Abrunhosa do Mato.
 
<$Comentários$>:
Ainda há pouco tempo lá estive e me maravilhei com esse quadro que sinceramente desconhecia!
Por falar em 1783, tenho um livro em casa que se está a detiorar, é em latim, parece-me, talvez, um missal antigo e está datado de 1785 (pelos menos a impressão)se te servir para alguma coisa e se o conservares melhor que eu, posso-te oferece-lo! Sinceramente não sei qual será a sua origem! Só sei estava junto com alguns livros do meu sogro!
Cumps
 
Pela posição do homem da casa, este deve estar a orar ao Senhor do Calvário para lhe levar a dona da pensão (deitada na cama) mas como no pranto a voz sai mais fraca a mensagem chegou mal interpretada aos ouvidos doridos do Filho do Criador em sofrimento visível na Cruz. Penso que as palavras milagrosas até foram mais ou menos estas:
- Se queres o paraíso tens que sofrer como eu nesta cruz, não dês mais água com cianeto á tua querida esposa que eu não a levo, por agora, pois tu também tens que suportar esse calvário.
Depois disto a senhora sobreviveu e o lugar teve direito a uma capela em honra ao Senhor do Calvário.

Um abraço

PS – JL é só ficção, por Deus não me processes!!!
 
North,aceito de bom grado a oferta do livro. Aliás, quem me conhece já sabe que neste momento estou ansioso por ele.
 
Quanto a votos temos tendencia, a fazer esse tipo trocas com o Cristo, embora a igreja romana seja contra eles, mas se forem acompanhados de algo mais material sempre vai-os aceitando.
Brevemente irei publicar uma entrada em sao referidos outro tipo de votos.
Gostei da improvisacao do Greensky!

Um abraco amigo.
 
Eu até suspeito que nesta fotografia fui o ajudante do fotógrafo: "Mais para a esquerda, um pouco mais para a direita... Está bom... Olha o flash!"
 
Foste sim senhor, JL. Aliás, não fosse a tua ajuda e a foto não teria saído tão bem...diga-se en passant.
 
Há já muitos anos que não via esse ex-voto.
Fico contente por saber que se mantém bem conservado e que agora está digitalizado.
Obrigado por o mostrares.
 
Faz-me lembrar a energia sentida em Senhora de Aires, no Alentejo.
 
É um dos aspectos menos visíveis do culto, os Ex-votos.
É um dos exemplos de maior manifestação de fé e ao mesmo tempo artística do nosso povo.
Faz pouco tempo que estive a fazer com o meu irmão, um trabalho sobre Ex-votos no Distrito de Viseu, com incidência no Concelho de Mangualde.
O nosso povo sabia agradecer a quem lhe fazia bem e neste caso, com muita fé e devoção, sempre arranjava tempo e dinheiro, para perpetuar a sua gratidão pelo bem adquirido a si ou aos seus.

Abraços
 
obrigado pelo apoio....

já volto a passar....
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Os ex-votos faziam parte do culto religioso do nosso povo.
Era bem mais interessante e útil acreditar nas graças pedidas e concedidas pelas divindades religiosas, do que nas promessas dos nossos actuais políticos que tudo prometem e nada cumprem!
Podemos admirar essa arte popular, na maioria das capelinhas e igrejas do nosso País.
Parabéns pelo seu blog que divulga o património do nosso concelho.
Há outros que falam em nome do concelho, mas nada fazem por ele!
 
Terra de grandes artistas... e com um "guardião" de 5*****.

Grande abraço
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar