NEOARQUEO
06 junho 2006
  Paisagem...rural


O calor está apertar...fala-se muito do aquecimento global do planeta. Em boa verdade, nós pouco ou nada fazemos para que esta situação se altere. Se calhar pouco podemos fazer...
Ao longo da História a evolução da paisagem foi-se sempre alterando. No ínicio, e estou a referir-me à milhões de anos atrás, os vulcões eram frequentes, e transformavam a face da terra, depois vieram as glaciações, depois...Mas...depois de aparecer o homem, e sobretudo o Homo Sapiens...foi ver a rápida e galopante transformação da paisagem da Terra. Num ápice o Homem conseguiu modificar, alterar, criar novos espaços. Espaços totalmente adaptados às suas necessidades. É de facto espantoso o rosto que ao longo da História o Planeta Terra foi adquirindo.
Hoje mostro-vos um pequeno riacho da minha aldeia: a Ribeira da Regada. Nasce perto, na freguesia de Mesquitela e vai engrossar, logo abaixo, o Mondego. As suas águas serviram e servem para tornar férteis os campos de Abrunhosa do Mato, permitindo assim a constância do povoamento que, a avaliar pelos testemunhos arqueológicos existentes, já por aqui se mantém desde a pré-história.
 
<$Comentários$>:
É por recantos como este, regatos que "gorgulham" por entre as pedras e que só de houvir nos refrescam a alma, que vale a pena uma passeata a pé pelos campos...
 
Com o calor que tem estado, sabe bem ver uma paisagem como essa, nem que seja apenas em fotografia!
Esperemos que o alcatrão não enegreça esse verde, nem a poluição
suje essas águas que me parecem ainda límpidas.
 
Diz a minha avó que essa ribeira foi envenenada pela população com truvisco (erva venenosa) aquando das invasões francesas.

Antigamente essas poças tinham que estar sempre bem limpas para poder acumular água suficiente para as regas. Por necessidade eram frequentemente desassoreadas e a vegetação arrancada. As águas eram límpidas e tinham peixes.
Segundo o Sr. Manuel Domingos Abrantes "carácter" também se podia aí apanhar lontras.

O Amigo TSFM já ajudou a uma célebre caçada neste local. Não de lontras mas de gambozinos.
Recordo (num dia de férias de verão) ver a poça cheia com a comporta ligeiramente levantada para deixar passar alguma água por baixo, um artista acocorado de saco de serapilheira a coar a água que ia escorrendo por baixo dela, três outros artistas de varas na mão a bater na água para espantar os gambozinos em direcção à saída da comporta e, dois grandes malandros a levantarem de repente a comporta de madeira para dar uma grande molha ao mais novato do grupo.
O desgraçado levou um banho tal que até foi pelo ribeiro abaixo com a enxurrada.
Por pouco não ia parar ao rio Mondego.

Belos tempos
 
Caro Antonio:

Bonitas fotografias e excelente artigo.
Daqui vao votos sinceros, de que essa agua continue limpida e transparente, por muitos anos.

Um abraco fornense (d'Algodres).
 
é daqueles nomes (o da ribeira) muito bem alicadas pelo saber do povo que antigamente existiu.
regada para regar lameiros ...
 
Estou em Sevilha ... Mas Mangualde é muuuuiiito melhor ... Abracos para todos.

Estou com saudades!!!!!
Mas já vou HOJE EMBORA !!!!OLÉ!!!!
 
Sem duvida que será sempre pouco o que fazemos para bem da natureza. Mas esse pouco cada vez tem mais visibilidade. Basta recuar um pouco no tempo e lembrar que os lixos eram despejados num qualquer buraco ou terreno. Hoje já proliferam os contentores do lixo, assim como cada vez mais se verifica a separação dos lixos, o que já é alguma coisa.

Quanto às alterações climáticas que sentimos creio não serem unicamente devido à poluição. Fazem também parte do próprio movimento da terra. A história geológica não mostra outros tempos estivais? E outras épocas de abundantes glaciares?

Alex, bom apontamento esse dos gambozinos. Já fiz várias caçadas mas nunca uma assim tão aventurosa.

Muito sugestiva a foto do "pulo da ribeira".

Um abraço
 
Logo às 18:30 vou tomar café ao bar do Elói! (na lateral do Estádio Municipal de Mangualde)....
Quem quer fazer-me companhia?

Fico esperando
BlueShell
 
Gostaria mas estou a 300 kms daí
 
TSFM, este tema leva-me a dizer isto. conheço um Homo Sapiens Sueco que construiu um palacio estilo árabe na serra de Tavira com janelas enormes,claraboia enorme, há tanta luz dentro como fora de casa o calor é tanto que não se consegue estar no 1º andar,todo o terraço tem tela preta e tem 10 unidades de ar condicionado ( luz, sol, calor isto não é Suecia). este Homo Sapiens é ecologista e tem um projecto desenvolvido para reciclar água etc, muito bem. o que eu quero dizer com isto é que construir um vulcão no Algarve não é boa ideia e este sr não sabe ó não quer saber que a energia que consomimos vem de França e é nuclear, ( AC, CFC,NUCLEAR ETC.)E são estas pessoas ditas ecologistas e protetoras do ambiente etc.etc.....

um abraço
 
Tanto quanto sei era também neste ribeiro que se lavavam as tripas do bacorito depois da matança, para os belos enchidos.
 
Há dias em que parece não haver céu!
Hoje é um desses dias....
BShell
 
Hoje choveu torrencialmente para estas "bandas", mas tem-se contribuído pouco para que estas alterações climáticas repentinas não tenham lugar, porque o nosso país, falo por nós, está pouco consciente para atitudes pouco correctas que toma no seu dia-a-dia e que afectam o ambiente.
 
Um Mocho e uma Bola Branca...que coisa estranha!!!
 
Esta paisagem rural é sem dúvida um excelente alento para os nossos olhos.
Numa aldeia com esta paisagem natural, uma moto4 dava mesmo jeito.
 
Ora aé está o que me tem faltado: uma moto4, para eu puder realizar mais abtidas de campo, procurando vestígios arqueológicos e recantos paisagísticos onde o homem possa ainda não ter interferido muito.
 
best regards, nice info » » »
 
Best regards from NY! » » »
 
Enjoyed a lot! » »
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar