NEOARQUEO
08 setembro 2006
  Fonte Medieval...

A tabuleta da estrada diz que esta fonte é medieval. A patine apresentada pelas pedras indiciam muita antiguidade. Não investiguei sobre o assunto. Apenas, numa das minhas viagens por este "imenso" Portugal desconhecido, me deparei com este fontenário, em granito construido e que me despertou curiosidade. Já sofreu obras de restauro estando por isso em perfeito estado de conservação.
A sua vetusta idade já permitiu matar a sede a muitos viajantes. Fica próximo de Castelo Rodrigo, na estrada que liga Almeida a Figueira. Quando por lá passar...pare, descanse e beba um golo de água...
 
<$Comentários$>:
Este cantinho não me é estranho. Lindo este espaço.
Apenas um reparo: A foto teria ficado Excelente se não tivesse, ao fundo, vestígios de séc. 21. mas também compreendo que sem esse vestígio, dificilmente esta foto seria tirada.

Abraços
 
A fonte é bonita e a água deve estar uma maravilha, de fresca
 
Ja ha tempos que nao passo por ai, quem sabe na proxima volta.
Ainda bem que o meu amigo anda sempre atento.

Bom fim de semana.
 
Caro António

Já aí matei a sede por duas vezes.

bela região essa.

um abraço
 
não sao muito comuns fontenarios assim com tanta envergadura.. pelo menos para as minhas bandas.
bonito!

cumprimentos fornenses
 
À próxima ida a essas lindas terras, vou espreitar mais esse monumento histórico :-)
 
Quer dizer que já começou o trabalho.
hhehehehehe
 
paizinho, quando voltarmos a andar por essas terras temos de ir verificar se aquela ponte é de facto romana ou medieval...lembras-te?
gostei muito da viagem!
beijinho
 
Mais uma vez... viagens... terras... marcas dos nossos antepassados... fotos para recordar... e o neoarqueo partilha connosco aquilo que muitos conhecem, outros desconhecem e infelizmente outros nunca chegam a conhecer. Obrigado por todas as fotos que partilhas connosco que, nem sempre temos a oportunidade de visitar...
 
pego nas palavras do Joaquim Baptista e acrescento, a água deve ser tão fresca que se mete lá um garrafão de vinho e vem geladinho.

Abraços
 
Posso estar enganada (o mais provável) mas essa fonte assemelha-se a algumas fontes existentes em terras transmontanas (encontrei algumas no concelho de Boticas) designadas de fontes mergulho! E diz a lenda que quem beber da água da fonte voltará á terra!
 
Fiz um link ao seu blog.
Penso não ser do seu desagrado.
 
Estava aqui a magicar!
Para que raio servirá uma grade numa fonte Medieval? Será para não roubarem a água ou a torneira? Será para os mais incautos não cairem lá dentro? Será puro ornamento? Ou no seu interior existe algo de valioso e não se vê na foto?
De qualquer jeito pelo estado de conservação e aspecto, não parece nada medieval, ou pelo menos a sê-lo há muitas na minha terra que serão anteriores a cristo (pelo abandono e degradação).
Bons passeios!
 
Bem...pedrinha rolanye...eu bebi daquela água...
 
Estive lá, há aí uns seis anos, no momento em que o homem dos mármores (suponho eu), do outro lado da estrada, estava a colocar a placa de granito que indica a existência da fonte.
Apesar da indicação, fiquei com a ideia de que aquele cantinho tão aprasível era da época romana, mas afinal é mesmo medieval.

Cumprimentos.
 
Roubei-lhe as fotos de Castelo Rodrigo. Vá ver por favor
http://castelorodrigo.blogspot.com/

Lembra-se que me autorizou a colocá-las no Blogueios?

Parabéns pelo seu trabalho.
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar