NEOARQUEO
25 fevereiro 2007
  Fontenário recuperado: exemplo a seguir...


Já no passado mês de Outubro me referi neste espaço à recuperação, melhor dizendo replicação de um engenho tradicional e útil que foi na recolha de água para consumo e regas: a picota. Tal obra foi levada a cabo por uma Junta de Freguesia em parceria com a Câmara Municipal em Terras do Caramulo. Noutro concelho vizinho, já junto ao Rio Vouga, podemos encontrar o restauro de uma fonte antiga. Efectivamente, o fontenário estava já praticamente em pré ruínas mas, a vontade de preservar, de legar ao futuro pedaços da nossa memória colectiva, pedaços de um passado aparentemente já longínquo falou mais alto...E não estamos a falar de uma reconstrução perpretada numa grande localidade, não, estamos numa pequena aldeia de Oliveira de Frades: Ribeiradio. Aqui houve bom senso, houve interesse genuíno na salvação daquilo que é de todos nós...Assim fosse por todo o lado e Portugal seria um país bem mais agradável: histórica e culturalmente falando, claro...
 
<$Comentários$>:
Por exemplo: No Carnaval fui dar uma vista de olhos aos moinhos de vento da zona de Penacova (que se vislumbram da IP3) e é uma dor de alma...
 
Não é preciso ir a Penacova.Cá pelo concelho há situações aflitivas.O nosso rico património construido e histórico está-se a esboroar.É uma pena!É uma pena!
 
E de louvar essa iniciativa, mas ficava muito mais bonito se tambem se lembrassem que os chafarizes nesses tempos tinham agua!
Mas algo e algo.

Um abraco algodrense.
 
obrigado pela visita e comentário
um abraço tatvares
saudações de terras detavares
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar