NEOARQUEO
02 janeiro 2011
  OSTRAKA…ou votar ao ostracismo….

Votar ao ostracismo. Foi votado ao ostracismo. São expressões hoje largamente utilizadas. Na maior parte das vezes quem as diz sabe o seu significado: esquecer alguém; alguém que é esquecido, porém não sabe donde provém esta sonora frase.
Esta tão utilizada forma de expressão vem da Grécia Clássica, mais concretamente de Atenas. Remonta às origens da Democracia Ateniense.
De facto, cerca de 500 e 460 a. C., que os Atenienses, cidadãos da cidade-estado de Atenas, “fundaram” a democracia (poder do povo). Faziam-se eleições para se elegerem os legítimos representantes.
Mas, não é de agora que o poder cega, ou impele a que o político a ele se agarre. A corrupção é um flagelo que persegue o homem detentor do poder, desde sempre.
Assim, quando um político na civilizada Atenas se tornava impopular, competia aos cidadãos votarem à sua ostracização. Isto é, escreviam o nome desse político num pedaço de barro chamado ostraka e o político era irradiado do poder. Na maior parte das vezes o político podia mesmo ser exilado, sair de Atenas, até ser esquecido…
É daqui que surge o votar ao ostracismo

PS Este Post foi transferido para data posterior por questões técnicas.


 
<$Comentários$>:
Gostei desta lição de História.

Eu também já tinha alguns nomes para colocar nesse pedaço de barro!

Viva o Ostracismo!!! Viva!!!!!

Abraços
 
Aprendi esse conceito no oitavo ano de escolaridade, com a Dr.ª Madalena Castro que foi minha professora de história no antigo liceu de Nelas. Confesso que já estava esquecido. Obrigado por mo relembrares.

Actualmente, quando os políticos se tornam impopulares, em vez de serem votados ao ostracismo, aproveitam para fazer um descanso e comer umas ostras a vapor nos melhores restaurantes. Dois anos depois voltam regenerados tal como a Fénix da mitologia grega que renascia das cinzas.

Se essa moda da Grécia antiga pega no Portugal moderno, bem que se enchiam as escadarias da Assembleia da República, Câmaras Municipais, etc, com umas ostrakas.
Havia de ser lindo...
 
Pois, pois, é como diz o Alex, hoje o conceito de ostracismo tem mais a ver com ostras...
 
Bem haja por recordar um termo, que esta a ficar "no ostracismo"!

Um abraco amigo d'Algodres.
 
Vim deixar um abraço com o desejo de uma boa semana.
 
Excelente ideia que seria se pudessemos usar isso nos politicos corruptos e mentirosos compulsivos!! :-) Mas esses não têm vergonha na cara...


Gostei muito do post e do post da ilha da Páscoa :-)

Bjs
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar