NEOARQUEO
05 novembro 2007
  Paisagem cativante...




O Outono é a estação do ano onde o misto de cores, odores, sons, paladares, sabores mais se entrelaça. É nesta época em que o calor por vezes teima em ficar e o frio ameaça, de quando em vez, mostrar a sua raça. É assim de Norte a Sul de Portugal; bem, mais a Norte, pois de Coimbra para baixo as temperaturas são mais amenas.
As paisagens mostram as suas cambiantes cromáticas e as árvores, cansadas, deixam cair as suas folhas.
Esta paisagem é humana. Demonstra bem a intervenção do Homem no meio ambiente ao longo dos anos e séculos. É uma vinha do Douro, a caminho de Vila Nova de Foz Côa. A casa no meio da vinha é a pedra de toque desta beleza natural trabalhada pelo homem.

É da preservação deste património paisagístico que também se tece a História do Homem; a História do homem comum, daquele que não tem História...
 
<$Comentários$>:
E nessa perservacao deviamos estar envolvidos todos nos!!!

Um abraco amigo do Al d'Algodres.
 
Sempre o Homem meteu o seu "dedinho" na modificação da paisagem que o rodeia.
Vemos com agarrada saudade a paisagem que nos une ao antigamente. Nessa altura o Homem sempre conseguiu dar um toque a essa ruralidade aproximando o Homem a terra. Pena é que hoje se esteja a viver o contrário. O Homem destrói a paisagem e... cada vez mais a separa alterando a nossa identidade.
 
Fotografia espectacular!!

;-)


A Sulista
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar