NEOARQUEO
06 setembro 2008
  Conimbriga...que bela que está
Já não ía há muito tempo visitar as ruínas da cidade romana de Conímbriga. Confesso que já sentia algumas saudades. Confesso, também, que não ía a contar com uma série de alterações que entretanto se verificaram naquele espaço. Efectivamente, várias obras de restauro e conservação foram ali processadas.Entre várias saliento a reconstrução que se está a fazer do Forum e da sua colunata, a cobertura da casa dos repuxos, a reconstrução das termas da zona Sul, entre outros melhoramentos.Estão de facto mais atraentes as ruínas de Conímbriga...Ainda bem...É sinal que em Portugal as coisas a pouco e pouco estão a ficar diferentes e, neste caso, para melhor...
Como se lembrarão, Conímbriga era um povoado antigo e que foi conquistado pelos romanos por volta do ano 136 da era cristã, durante a expedição de Décimo Junio Bruto, mas foi só no reinado de Augusto que a cidade se remodelou à maneira romana. Desta remodelação romana salienta-se as muralhas, com as suas diversas portas. Mais tarde já no século IV depois de Cristo os conimbricences construiram novas muralhas, mais imponentes.
Passeando pela cidade pode observar-se a beleza da Casa dos Repuxos, assim apelidada aquando da sua escavação pelos repuxos que ela possuía no seu peristilo. Trata-se de uma extraordinária obra de arquitectura.è uma casa muito grande, pois existe ainda uma parte que não foi ainda escavada. Para além dos repuxos pode-se admirar os riquíssimos mosaicos que pavimentam os vários compartimentos. estamos perante o maior conjunto de mosaicos figurados de Portugal. Os repuxos foram restaurados e hoje encontram-se a funcionar como na época. Para tal, nos dias de hoje basta que se coloque uma simples moeda de 50 céntimos numa pequene máquina que aciona durante um minuto e meio o mecanismo aquático. Uma excelente ideia que obvia as despesas de mantuenção do sistema e da água que entretanto se vai gastando. Outra casa muito interessante é a casa atribuída a Cantaber (um senhor rico do século V). Construida no final do século I d. C. teve ocupação até ao abandono da cidade aquando das invasões suevas. Esta habitação é enorme constituindo, inclusivamente, uma das poucas residências urbanas do Império Romano com tamanha dimensão. Possuia termas próprias e de requintada elaboração.
Como se sabe os romanos reuniam-se na cidade numa praça denominada Forum. Este espaço era fundamental nas cidades romanas, à semelhança das cidades gregas com a àgora. Era no Fórum onde tudo acontecia em termos sociais, políticos, administrativos, etc. Era no fundo o coração da cidade. A parte mais evidente do Forum de Conimbriga é a sua praça central rodeada por um pórtico de que se conservam algumas bases de colunas. A norte ficava o templo, cujo frontão media 18 metros de altura. Este templo era dedicado ao culto dos imperadores entretanto divinizados. Está também em restauro e no Museu monográfico pode ver-se uma maquete (que é aqui reproduzida também).
Muito mais haveria para contar desta cidade, porém o melhor é mesmo os meus amigos leitores darem lá um salto e verem com os seus próprios olhos toda a beleza, os melhoramentos, a conservação, o asseio daquele monumento. Pena que não se passe o mesmo com todos os monumentos e ruínas de Portugal. Pena que não se passe o mesmo com as ruínas da nossa "citanea da raposeira". Bem sei que a imponência e a importância arquitetctónica e tudo mais se não assemelha um pouco que seja com Conímbriga. Sei, pois participei nas escavações da referida Citânea de Mangualde e estudei com carácter de obrigatoriedade académica as ruínas de Conímbriga. Porém, é funfamental que se preserve, diria mesmo que é obrigatório que se preserve e conserve o que nos foi legado, ainda que de inferior dimensão. Custa-me ver o abandono a que as ruinas da "citanea da Raposeira" estão votadas. Custa-me que não haja um plano de preservação e consequente divulgação, capaz, em termos turísticos. Enfim, custa-me. Custa-me ainda mais pensar que nada disto custa a quem pode e deve fazer alguma coisa. A Câmara municipal de Mangualde deverá seriamente empenhar-se em olhar para aquele monumento e pensar em fazer alguma coisa por ele...antes que seja tarde.


 
<$Comentários$>:
Tambem eu notei muito boas diferencas, da ultima vez que ali estive, pois ja la nao ia ha mais de dez anos!
So tive azar a casa dos repuxos comeu-me duas moedas de 50 centimos e nada de repuxos!

Um abraco dalgodrense.
 
Até que enfim deu sinais de vida..

Abraço do

Joaquim Baptista
 
Olá :-)

Gostei de ler, como sempre, aprende-se algo aqui.
 
Arqueologia..que coisa fascinante!! :D
Quando era mais nova e antes de decidir o meu curso ainda pensei seriamente nisso...mas pensei que cá em Portugal não houvesse muito a fazer :( Continua!!!
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar