NEOARQUEO
06 maio 2009
  Batidas de Campo...para que vos quero?
Hoje o dia foi de completab busca de caminhos antigos (alguns trajectos possiveis da malha romana de Mangualde).
Chegámosm à conclusão que, de carta militar na mão e percorrendo o trajecto traçado para a via VIII (caldas da Felgureira-Mangualde) existem difrenças entre o percurso até agora definido e a nossa proposta.
Na explicação do Mapa que publiquei no post anterior, para além do traçado definido pelo Professor Inês Vaz, eu acrescentei alguns pontos de passegem, que embora o Professor não os tenha referido, eu dava-os como sub-entendidos. Porém, após um dia inteiro a calcorrear de carroe a pé e de carta militar na mão como já referi, e questionando as pessoas nos diversos locais, tenho que excluir do traçado do Professor os pontos que eu inclui (sub-entendidos) e considerar apenas o que o Professor escreve.
Existem, na minha prspectiva, e na da minha equipa, algumas divergências com o traçado proposto pelo Professor. Isto é: em alguns pontos o traçado do Professor não corresponde coma o nosso entendimento.
Ora, isto leva a reformular alguns pressupostos. Assim, quando tivermos mais alguns dados mais concretos serão dados a conhecer.
Até lá, e porque a vida não é sóarqeuologia, vão dando umas voltas pelo www.arte-aberta.blogspot.com e divirtam-se coms as viagenspelo Patrimóno de Mangulde e pelas exposições de arte.
Amanhã publicarei alguns aspectos da Quiema das Fitas de Coimbra...que também é Património...Cultural...
 
<$Comentários$>: Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar