NEOARQUEO
12 janeiro 2011
  Outra maneira- germânica-de ver a Arqueologia


Esta é uma recordação dos meus tempos de estudante de Arqueologia, em Villa Cardillium, Torres Novas. Sob um sol escaldante, queimadíssimos, não fossse o caladryl da Dores e da Cristina, a pele saltava toda. A Barbara, estudante alemã que vinha escavar connosco, muito branquinha calhou no meu sector. Ora, adivinhem quem me colocava o Caladryl nas costas...Já foi há tantos anos.Nesse ano por lá andámos a escavar e se a memória me não atraiçoa: eu, a Fátima Rebelo, a Cristina Rocha, a Cristina Ramos (de Lisboa), o Branquinho, a Pilar, o Tozé, a Dores, o irmão da Dores, o Ludjero, o João Redol...sei lá, e outros e outras. Todos sob a Direcção do Dr Nunes Monteiro, e de vez em quando lá ía o Professor Alarcão.
Daí, quase todos rumávamos à Serra da Aboboreira, Baião, para engrossar as equipes do Profesor Vítor O. Jorge e da Professora Suzana O. Jorge e outros, lembro-me, por exemplo da Jesus Sanches. De Coimbra, além desta equipe, os mais habitués e aficionados pela pré e proto História eram o Paulo Félix, a Anabela Lebre, a Anabela Manique, o António Luís Silva, O Pedro Sobral, o Luís Filipe Gomes, o Pedro Redol (estudante de H Arte e hoje director do Museu nacional Machado de Castro) e, claro, a Professora Raquel Vilaça. Memories

PS Este Post foi transferido para data posterior por questões técnicas.
 
<$Comentários$>: Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar