NEOARQUEO
06 janeiro 2011
  A Queima das Fitas e a Tradição Estudantil Coimbrã
Foi em 1899 que um grupo de estudantes dava início àquela que se veio a tornar a maior festa académica do País, assumindo-se como o expoente máximo da tradição e do espírito que são intrínsecos a Coimbra.
Hoje, a Queima das Fitas é um factor de dinamização Cultural, Desportivo e outras vertentes e reaviva a Tradição.
O Cortejo é o ponto alto das Festas. Este cortejo, longo corço dos diversos carros lindamente decorados com flores de papel, cujas cores aludem às cores das diversas Faculdades da vetusta Universidade, tem início na velha Universiadade e acaba na Portagem, junto ao Mondego.
A Monumental Serenata, nas escadas da Sé Velha, abre solenemente a Queima.
Já fiz a minha Quiema das Fitas e vivi as diversas tradições coimbrãs, enquanto estudante.
Agora foi e é a vez da minha filha mais velha.
A festa é dela, é Nova Fitada de Psicologia, e ao invés do pai que saiu com Licenciatura ela já vai sair com o grau de Mestre.
Parabéns Rita...
Perdoem-me os meus habituais leitores por dedicar este post a uma das festas, uma das mais importantes da vida dela.
Publico a tradicional caricatura.

PS Este Post foi transferido para data posterior por questões técnicas.


 
<$Comentários$>:
Parabéns à Rita, ao pai, à mãe e á mana :-)

Isso é sinal de velhice? ;-)
 
GRANDE ANA RITA!
É UM ARTIGO MERECIDO.
PARABÉNS!!!
MUITAS FELICIDADES PARA TODOS.
 
Pai babado ...
Parabéns.
 
Parabens Rita, e que se ja o ponto de partida para coisas muito boas.
Claro parabéns ao compadre, à comadre, e à afilhada também.

Bjs

Vitor Martins
 
Obrigada a todos os votos de felicidades que me foram enviados :)

Rita Tavares
 
Estou a fazer um projecto acerca das tradições da Universidade de Coimbra - quais são as mais conhecidadas e importantes? Obrigado!
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar