NEOARQUEO
27 junho 2010
  Verão Quente de 1975
Esta mensagem foi pintada no Verão Quente de 1975...foi há 34 anos. Sei quem a pintou...vi e "ouvi" pintá-la.
Eu naquele ano tinha 11 anos.
A Dona Agostinha ouvindo o barulho assumou à janela do quarto, naquela noite, e perguntou: quié lá? (à boa maneira beirã).
Alguém responde: Volte para a cama, que nós somos dos bons...é para parar com os que dão injecções aos velhos atrás das orelhas...
A Dona Agostinha, no alto da janela e dos seus quase 80 anos, mais confortada com aquela promessa, lá se foi deitar novamente.
Eram assim aqueles tempos por terras de Abrunhosa do Mato: uma maneira activa de fazer o Verão Quente.


 
<$Comentários$>:
pois...
 
ai o malvado do Barreirinhas e dos seus camaradas que comiam criancinhas ao pequeno almoço... :)

Uma questão histórica. Foi tudo pintado na mesma altura e pelo mesmo grupo?
É que chamarem porcos imperialistas aos comunistas ainda não tinha visto!
 
Pedro, foi tudo pintado na mesma noite. Porém a frase porcos foi feita aproveitando a sigla PCP que tinha sido escrita noites antes.
Digamos que foram a reacção a fazer jus ao nome.
Havia uma outra inscrição idêntica na Cabine da EDP. Mas esta empresa anos mais tarde procedeu á pintura da cabine e esse "documento histórico" perdeu-se.
 
Olá Tavares!

Tinho uma vaga recordação de o texto ser mais completo:
"MORTE AO REBANHO DO BARREIRINHAS CUNHAL"

"PORCOS IMPERIALISTAS" (Aproveitando o texto PCP... escrito à vermelho)
Ou estarei a faer confusão com o texto que estava no posto de transformação junto à fonte Arnós.

Um abraço
 
Alex, A frase "morte ao rebanho do barreirinhas cunhal" era precisamente a que estava na cabine da fonte.
Abraço.
 
Tavares,

havias de ter ouvido o chorrilho de asneiras que o meu sogro (vermelho retinto e amigo do “cavalo branco”) disse, quando deparou com aquela parede pela primeira vez.
:-)

Abraços
 
Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]





<< Página inicial
Espaço para reflexões sobre Património Cultural, Arqueologia, Historia e outras ciências sociais. Gestão e Programação do Património Cultural. Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo deste blog sem o prévio consentimento do webmaster.

A minha fotografia
Nome:

António Tavares. Arqueólogo e Gestor do Património Cultural. Actividade liberal, Arqueoheje e Município de Mangualde.


Arquivo
Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Fevereiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Maio 2006 / Junho 2006 / Julho 2006 / Agosto 2006 / Setembro 2006 / Outubro 2006 / Novembro 2006 / Dezembro 2006 / Janeiro 2007 / Fevereiro 2007 / Março 2007 / Abril 2007 / Maio 2007 / Junho 2007 / Julho 2007 / Setembro 2007 / Outubro 2007 / Novembro 2007 / Fevereiro 2008 / Abril 2008 / Maio 2008 / Setembro 2008 / Outubro 2008 / Novembro 2008 / Dezembro 2008 / Março 2009 / Abril 2009 / Maio 2009 / Junho 2009 / Julho 2009 / Agosto 2009 / Setembro 2009 / Outubro 2009 / Dezembro 2009 / Janeiro 2010 / Abril 2010 / Junho 2010 / Setembro 2010 / Novembro 2010 / Janeiro 2011 / Fevereiro 2011 / Março 2011 / Abril 2011 / Maio 2011 / Junho 2011 / Julho 2011 / Agosto 2011 / Setembro 2011 / Outubro 2011 / Novembro 2011 / Dezembro 2011 / Janeiro 2012 / Abril 2012 / Fevereiro 2013 / Junho 2013 / Abril 2016 /




Site Meter

  • Trio Só Falta a Mãe
  • Memórias de Histórias
  • arte-aberta
  • Rede de Artistas do Arte-Aberta
  • Museu Nacional de Arqueologia
  • Abrunhosa do Mato
  • CRDA
  • Instituto Arqueologia
  • Terreiro
  • O Observatório
  • Domusofia
  • O Mocho
  • ACAB
  • O Grande Livro das Cabras
  • Teoria da conspiração e o dia dia do cidadão
  • O meu cantinho
  • Escola da Abrunhosa
  • O Fornense
  • Um Blog sobre Algodres
  • d'Algodres:história,património e não só!
  • Roda de Pedra
  • Por terras do Rei Wamba
  • Pensar Mangualde
  • BlueShell
  • Olhando da Ribeira
  • Arca da Velha
  • Aqui d'algodres
  • n-assuntos
  • Universidade Sénior Mangualde
  • Rotary Club de Mangualde
  • galeriaaberta
  • Francisco Urbano
  • LONGROIVA
  • Kazuzabar